A verdade que ninguém lhe contou sobre ser pai (e marido)

 

O FILHO TAMBÉM É SEU !

E a casa também é sua !!!

Parece algo tão óbvio, não é mesmo?!

Se analisarmos a fundo a maioria das famílias brasileiras é isso o que vamos encontrar, maridos compartilhando as responsabilidades do filho e da casa com sua esposa, certo?

Mães que trabalham fora, cuidam do filho, da casa e de si mesmas e vivem felizes; pais que também trabalham fora, cuidam do filho, da casa e de si mesmos e vivem felizes.

Típica família tradicional brasileira, com responsabilidades compartilhadas e equilibradas, na qual ninguém está sobrecarregado.

Sua família também é assim, não é?!

Torço para que seja, mas a grande realidade é que mais de 92% dos lares ainda vive a era machista e não há equilíbrio algum na divisão de tarefas.

Em muitas casas a mãe trabalha fora, lidando diariamente com uma ENORME cobrança interna por não estar cuidando de seu filho, trabalha em casa, cuida do filho no tempo que sobra e muitas vezes é quem trás a maior parte da renda da família.

Pra que marido nessa situação?

Em outros lares a mãe “apenas” cuida do filho e da casa. APENAS. Como isso por si só já não fosse um baita trabalho, exigindo, na maioria das vezes, muito mais energia e gerando um desgaste emocional muito maior do que para o pai que trabalha fora.

E aí ele chega em casa no final do dia e ainda pergunta o que você, mãe, ficou fazendo além de cuidar do filho.

Por que não fez a janta? Por que não limpou a casa? Por que não lavou a roupa se você teve o dia todo livre para isso?

Calma, não fique lembrando agora da última vez que isso aconteceu porque não é esse o objetivo do post, gerar raiva em você.

E sabe o que é pior?

A mulher, mãe, pode fazer tudo isso diariamente (almoço, janta, lavar louça, limpar a casa, cuidar do filho, etc.) e jamais ser elogiada por isso, seja pelo marido ou pela sociedade.

É como se fosse sua obrigação.

Agora veja o que acontece se um homem, pai, faz alguma dessas coisas, SÓ UMA.

Nooooossaaaaa, é tido como o marido do ano, vira referência para as tias da esposa e se torna O exemplo de bom marido, só porque fez a sobremesa do almoço de domingo, lavou a louça ou trocou a fralda do bebê na frente da família.

Veja quanta justiça nisso tudo, não é mesmo?!

Justiça aonde???

Você, pai, já tomou consciência disso?

Você, mãe, nem vou perguntar porque você sabe na pele do que estou falando.

Na minha percepção, a mulher vem adquirindo consciência e compartilhando responsabilidades que antigamente não eram dela (trabalho e dinheiro) e o homem vem se folgando com isso, vendo sua esposa se acabar sem fazer nada.

É a mulher do século XXI vivendo com o homem das cavernas.

Por isso eu digo que ser pai é MUITO mais do que simplesmente levar dinheiro para casa, brincar com seu filho, trocar a fralda de vez em quando.

Mais do lavar a louça ou tirar o lixo uma ou duas vezes por semana.

É muito mais do que ajudar sua esposa, é COMPARTILHAR DE FORMA EQUILIBRADA as tarefas de casa e com o filho.

É não esperar sua esposa pedir para você fazer alguma coisa em casa, É FAZER!

O que lhe impede, pai, de propor ficar com seu filho uma tarde inteira para sua esposa poder fazer o que bem entender? E que tal um dia inteiro?

Muito difícil? Como a mãe consegue?

Garanto que você é inteligente o suficiente para encontrar formas de viabilizar isso.

É só uma tarde, uma manhã ou um dia inteiro. Tenho certeza que você sobreviverá.

Para mim é muito louco pensar em como a nossa sociedade vê um filho como se fosse algo totalmente ligado à mãe, inseparável, e ao mesmo tempo tão facilmente desconectado do pai, afinal, tem a mãe, não é?!

O pai simplesmente comunica a mãe que na terça-feira de noite ele irá jogar bola com os amigos e é isso, simples assim.

A mãe que se vire, como ela sempre faz.

Agora imagine uma mãe fazendo o mesmo.

Se você for mãe, convido você a experimentar o seguinte: chegue hoje para o seu marido e fale que amanhã de noite você sairá com as amigas e que ele tem que cuidar do bebê.

Muitas de vocês devem estar pensando: “sem chance, meu marido nunca conseguiria e eu não tenho confiança nele para fazer isso”.

Pois bem, fácil para o pai, mas difícil para a mãe.

E onde está o erro?

Eu respondo: na falta de consciência, principalmente dos pais.

Justifico essa resposta porque percebo como ainda é difícil para os maridos se colocarem no lugar de suas esposas e entenderem que não existe obrigação intrínseca ao fato de ser mulher ou mãe.

Na minha casa, eu faço apenas atividades de lazer que sei que minha esposa pode fazer também.

Por exemplo: se eu marco alguma coisa com meus amigos durante a semana, sugiro para ela que faça o mesmo e marque um dia para sair com as amigas, e eu fico cuidando do nosso filho.

Se ela fica fora uma noite, eu me sinto à vontade para fazer o mesmo em outro dia.

E isso não é uma obrigação ou algo que incomoda, é apenas a consciência de que temos os mesmos direitos porque compartilhamos as nossas responsabilidades em casa e com nosso filho.

Observação: ela pode confirmar o que estou dizendo para não pensarem que é conversa furada.

Ainda assim, confesso para vocês que ela se cobra e se sente na obrigação de cuidar da casa e do filho mais do que eu.

Infelizmente vejo o mesmo em muitas mulheres, entendendo que isso ainda é uma crença social presente na sociedade e que eu tenho certeza que será desfeita ao longo dos próximos anos, pois as pessoas estão começando a pensar diferente.

Leia também:
Porque você nunca vai dar a vida que deseja para sua família

O que um bebê pode lhe ensinar sobre o tempo, e a vida
2 coisas que vou ensinar aos meus filhos, segundo Ramit Sethi
O que o nascimento de um filho pode nos ensinar sobre mudar o jogo

Agora vou confessar à você, pai e mãe…

 

Eu não sou um marido fora da curva.

Estou apenas compartilhando a responsabilidade que nós, eu e a Dani, assumimos quando resolvemos ter uma casa e um filho.

Essas decisões foram tomadas por nós dois em conjunto, então por que ela deveria assumir a maior parte das tarefas?

Eu, assim como muitos outros homens, não fazia nada enquanto estava morando com meu pais.

Não lavava roupa, não lavava louça, não fazia comida, nem arrumava a cama porque minha mãe não deixava.

Só que eu me toquei na hora que eu virei adulto (depois que casei) que isso fazia parte da minha responsabilidade e que para viver em harmonia com a minha esposa eu precisaria dedicar algumas horas do meu dia à casa e à ela.

Fiz um grande esforço e no começo foi muito desafiante (ainda tenho o que melhorar), mas é possível.

E para ter mais harmonia em sua família…

 

Primeiro de tudo, reconheçam o que cada um faz pelo bem da casa e da família, por menor que seja a ação, e agradeçam um ao outro.

Encontre pelo menos 3 coisas que seu(sua) parceiro(a) faz e agradeça, diariamente se possível.

Em segundo lugar, conversem, conversem e alinhem sempre as suas expectativas.

Pai, tenha a iniciativa e pergunte para sua esposa algo como:

“O que eu, enquanto marido e pai, posso fazer para equilibrar as responsabilidades da casa e do nosso filho com você?”

“Como posso ser melhor enquanto marido e pai?”

Mãe, se seu marido não tomar a iniciativa, faça você uma pergunta parecida com:

“Marido, o que mais você pode fazer em casa para equilibrarmos mais as tarefas domésticas?”

Ou deixe as opções bem claras:

“Você prefere, nesse primeiro momento, assumir a responsabilidade de lavar as roupas semanalmente ou tirar o lixo todos os dias?”. E deixe que ele escolha.

Como sugestão, comecem pequeno.

O que eu quero dizer com isso é que o homem comece a assumir uma coisa de cada vez para que se torne um hábito rapidamente.

Dando um exemplo:

Se a primeira tarefa acordada entre vocês é ele começar a tirar o lixo todos os dias, entenda que nas primeiras semanas pode haver dias em que ele não lembrará de fazer.

Não é por mal, é apenas porque um novo hábito está sendo adquirido e isso exige um certo tempo e esforço.

Como dica, criem lembretes para que a lembrança do que fazer seja mais fácil.

Sei que você, esposa, pode estar pensando: “mas quando passamos a morar juntos eu tive que começar a fazer isso de um dia para o outro, e quando não fazia ele ainda reclamava”.

Entendo essa situação e sei que provavelmente você tenha vontade de retribuir a mesma maneira de agir.

No entanto, o que você ganhará com isso? Harmonia ou discussão?

Então se ele não tem sensibilidade para lhe entender e agir com cavalheirismo, demonstre seu autocontrole e saiba aguardar algumas semanas.

Se você parar para pensar, também perceberá que qualquer hábito que você começa a praticar também leva um certo tempo para ficar automático.

E mais, segure sua vontade de fazer por ele. Em algum momento ele vai se incomodar e se tocar do que precisa ser feito.

Por fim…

 

Mãe, tenho algo para falar diretamente para você.

“A forma como você faz uma coisa, é a forma como você faz todas as coisas na vida.” – T. Harv Eker

Se você assume todas as responsabilidades na sua casa, provavelmente faz o mesmo no trabalho, na família, em tudo.

E o quanto isso está lhe sobrecarregando?

Permita-se compartilhar aos poucos as pequenas coisas que outras pessoas podem fazer por você.

Peça ajuda e aceite quando alguém lhe oferecer, pelo seu bem.


Fez sentido para você tudo o que escrevi aqui?

Ser pai integralmente deixa sua família mais rica e a torna mais feliz e equilibrada.

Deixe seu comentário abaixo independente de ter gostado ou não, pois assim temos a oportunidade de conversarmos mais sobre o assunto.

E se você realmente gostou do texto, compartilhe em suas redes sociais para que a mensagem possa atingir mais pessoas.

É só por meio da informação e da tomada de consciência que podemos dar às pessoas a opção de escolha e permitir que elas pensem de outra maneira.

Um forte abraço!