O que um bebê pode lhe ensinar sobre o tempo, e a vida

 

Você já sentiu isso?

Aquela alegria de olhar para o seu filho e perceber que mesmo sem ele saber ele está lhe ensinando?

É como se esse momento estivesse guardado em algum lugar apenas esperando a hora certa para chegar até você.

É então que você esboça um sorriso no rosto e pensa (e às vezes até fala):

“Caramba filho, você desse tamanho e já me ensinando”.

Muitas vezes o bebê nem fala ainda, como é o caso do meu com 1 mês e meio, mas já comunica MUITO.

E ao mesmo tempo que você pensa “como pude não ter pensado nisso antes” você se sente grato por ser ele, seu filho, estar lhe passando uma grande lição.

 

O fato é que essa semana eu estava dando banho no meu filho junto com a minha esposa e captei 5 lições que o pequeno Léo me passou sobre o TEMPO, e a VIDA.

Eu sei, estou fugindo um pouco do tema financeiro.

Mas sabe quando fica aquela pulguinha atrás da sua orelha dizendo que esse é o certo para se fazer agora?

Pois é, resolvi seguir minha intuição e escrever sobre isso nesse post.

Tenho certeza que ele tem um potencial de influenciar sua vida assim como quando falo em números e dinheiro.

E se pode levar mudanças para sua vida, também pode tornar Sua Família Mais Rica.

 

1) Quando estamos aprendendo, parece que o tempo que passou é muito maior do que a realidade.

Nessas 6 semanas que o Léo está conosco temos aprendido cada dia um pouco.

Como somos pais de primeira viagem, tudo tem sido um desafio na nossa vida.

Os choros, as cólicas, a rotina, fazer mamar, fazer dormir, etc.

Tudo exige atenção e constantemente estamos revendo se o que fizemos foi bom e se há algo para melhorar.

É tão intenso que cada dia vivido parece que teve 72 horas.

São tantas transformações que o nosso filho passou que parece que ele já tem 3 ou 4 meses.

E isso me faz pensar na quantidade de vezes que eu já ouvi pessoas dizendo, e eu mesmo já disse centenas de vezes, “o tempo está passando tão rápido ultimamente, não é!?”.

Aqui eu lhe convido para uma reflexão.

O tempo está realmente passando mais rápido (o dia continua tendo 24 horas, mesmo com pesquisas que digam que o dia já tem 23 horas e uns minutinhos) ou você está pouco consciente de tudo o que você vive no seu dia?

Você está fazendo algo que gosta?

Aprendendo algo que lhe interessa?

Trabalhando aonde você é feliz?

É o tempo que passa “rápido” ou você que percebe “pouco” ele passando?

Aqui vai uma dica do que eu faço para me tornar mais consciente de tudo o que faço no meu dia e como tenho feito eles valerem a pena e durarem o tempo necessário para passarem mais lentamente.

Antes de dormir, agradeço por tudo o que fiz, aprendi e vivi no meu dia.

Faço isso junto com a Dani, o que torna esse momento ainda mais prazeroso porque compartilhamos coisas boas do nosso dia.

Agradecemos tudo o que queremos.

Algo simples e com um poder enorme de valorizarmos o que vivemos.

Outra dica, que aprendi com a minha amiga Martine Jadoul, é seguir esses 4 passos:

  1. Por que valeu a pena viver o dia de hoje?
  2. Se eu pudesse mudar algo no meu dia, o que seria?
  3. Descreva 5 ações que fará no dia de amanhã.
  4. Agradeça pelo seu dia, pelas coisas que fez, pelas pessoas que encontrou e peça perdão pelo que acreditar ser necessário.

Tanto essa sequência como o exercício que faço fazem você trazer para a consciência o que você fez no seu dia.

Quando você percebe, um dia que você considerava parado teve muito mais movimento do que você imaginava.

Assim, seus dias ficam mais preenchidos e parecem que “duram mais”.

 

2) Cada um tem seu tempo

Adianta você querer que seu filho durma no horário que você gosta de assistir um seriado?

Se for bebê, ele não tem qualquer noção do que tudo isso significa e ele vai fazer as coisas na hora que ele quer.

Claro que você pode criar uma rotina que aos poucos vai orientando o dia-a-dia do seu filho.

No entanto, você não tem controle se num determinado momento ele não quiser dormir.

Você tem que ter paciência e entender que talvez o melhor nesse momento seja deixar ele ficar acordado.

E na sua vida, quantos conflitos já teve por sua impaciência e por esquecer que seu tempo é diferente do tempo do outro?

Difícil enumerar, não é?!

Para que sua vida seja mais harmoniosa e menos desgastante para você, lembre-se sempre de deixar a paciência sempre por perto.

Experimente fazer algo no tempo de outro, mesmo que isso lhe torture muito num primeiro momento.

Lembre-se que isso é um sacrifício em prol do seu desenvolvimento.

 

3) Cada coisa tem seu tempo

Não sei se você já passou por isso, de querer que seu filho durma a noite toda tendo menos de 3 meses de vida.

“Mas eu conheço a prima da vizinha do amigo da minha cunhada que tem uma filha que dorme a noite toda desde que tinha 1 mês”.

Isso realmente pode acontecer, mas tenha em mente que esse não é o normal.

Por isso, vale a pena você se preparar para ter um bebê normal e que passará por inúmeras fases até chegar ao momento de dormir a noite toda.

Cada coisa tem seu tempo e é necessário respeitarmos isso.

Você concorda?

Tenho certeza que se você tem pelo menos 1 filho já deve saber que a criança para de ter cólicas geralmente perto dos 3 meses, começa a comer papinha aos 6 meses, anda geralmente perto de 1 ano e tantas outras coisas que você sabe, não é?!

Esse é um padrãozão e a maioria dos bebês se encaixa nele.

Adianta acelerar e querer dar papinha para seu filho aos 3 meses?

Não!!!

O sistema digestivo dele ainda não está preparado para receber alimento diferente do leite e isso pode gerar uma série de complicações.

Se entendemos isso, por que, então, a maioria das pessoas quer hoje acelerar tanto os processos?

  • Enriquecer do dia para a noite.
  • Ficar com o corpo sarado do dia para a noite.
  • Viajar o mundo do dia para a noite.

Parece que esquecemos que existem fases a serem superadas para chegarmos aonde queremos.

É como um videogame, “para zerar a fita” você precisa passar por todas as fases.

Mais uma vez, tenha paciência e saiba esperar o momento das coisas acontecerem.

É como a natureza.

Você já viu uma semente dar frutos sem antes ela virar uma árvore?

 

4) A vida é para ser leve e tranquila

Quando estou dando banho, trocando, fazendo o Léo arrotar tenho que ter paciência e entender que as coisas não são no meu tempo, são no dele.

Nada pode ser brusco, tudo ter que ser leve, suave, delicado para que não estimule demais ele ou acabe machucando-o.

E na vida, percebo isso comigo e em outras pessoas, tem coisas que queremos fazer dar certo de qualquer maneira.

Colocamos o máximo de esforço possível, mesmo desrespeitando nosso próprio corpo ou nossa vontade.

Por quê?

Porque esquecemos que a vida foi feita para ser leve e tranquila.

Se algo estiver exigindo seu esforço mais do que o necessário, já não fazendo mais sentido para você, será que vale a pena continuar?

Ah, mas você pode ser daquelas pessoas que não desiste daquilo que começa, não é?!

Mesmo que isso signifique ficar menos tempo com a família e jogar sua energia no lixo, certo?!

Francamente…

De que adianta se esforçar por algo que já perdeu o sentido para você e já usou mais energia do que deveria?

Para dizer aos outros que você é persistente mesmo que internamente você saiba que isso é teimosia?

Cuidado com seu ego ou em breve ele será você e o seu eu verdadeiro irá parar no porão.

 

5) Cada momento deve ser vivido integralmente

Sei que isso soa como um clichê, mas é a pura realidade e ficou ainda mais claro para mim depois que o Léo nasceu.

Se você tem um filho, já tentou dar banho sem estar 100% concentrado nisso?

A vez que eu fiz isso meu filho entrou com a cabeça na água e quase se afogou.

Já pensou na hora de colocar ou tirar ele do carrinho?

E tantas outras situações que 1 segundo de falta de atenção podem colocar em risco a vida do nosso bebê.

Por isso eu digo que cada momento deve ser vivido integralmente, com você 100% presente.

Uma coisa simples que aprendi num curso que fiz é repetir sempre para você:

Eu estou aqui!

Se tiver mais alguém com você, repita também:

Eu vejo você!

Essas duas frases por si só já são capazes de lhe deixar no momento presente e perceber o que realmente está acontecendo à sua volta.

Experimente.

 

Conclusão

Por fim, tenho que falar que, na verdade, o bebê não me ensinou nada e me ensinou tudo ao mesmo tempo.

Não foi ele que me orientou a como refletir sobre o tempo.

Não foi ele que me disse quais lições tirar disso.

Mas foi ele que permitiu esse momento acontecer.

Talvez se não fosse por ele existir e estar ali, eu nunca pensaria como eu pensei.

De certa forma ele me empoderou, me fez perceber que se eu estiver mais desperto, consciente, ao longo do meu dia, posso aprender em inúmeras outras situações.

Sou grato ao meu filho por compartilhar comigo esses momentos de lucidez e dedicação e por você ter chegado até aqui em meu post.

Compartilhe esse post com seus amigos na esperança de espalharmos mais rapidamente essa mensagem e ajudarmos as pessoas a tomarem consciência e viverem suas vidas no agora.

Comente aqui embaixo para que sua experiência também possa espalhar aprendizados.

Um forte abraço e seja feliz!